domingo, 17 de julho de 2016

Review | Opinião Literária # 5

Olá =)

Espero que estejam bem!

Hoje resolvi trazer mais uma review de um livro. A primeira vez que ouvi falar d'"O segredo do meu marido" de Liane Moriarty foi à cerca de meio ano. Confesso que a ideia de deixar cartas com "para ler apenas após a minha morte", dentro de outros livros, foi um golpe de marketing bem sucedido (pelo menos comigo resultou)... Quando encontrei o livro à venda, aproveitei a promoção com que estava e comprei-o!


SINOPSE
"A carta do marido dizia: "Para ler apenas após a minha morte."

Mas ele estava vivo. E escondia um segredo aterrador.
Cecilia encontrou a carta acidentalmente. Na penumbra do sótão, soube de imediato que não devia lê-la. Que devia devolvê-la ao seu esconderijo, fingir nunca a ter encontrado e respeitar a vontade do marido. Afinal amava John-Paul. Juntos, tinham três filhos e uma vida sem sobressaltos. Argumentos que de pouco serviram perante a sua curiosidade crescente. E quando começou a ler, o tempo parou. A confissão de John-Paul fulminou-a como um raio, dividindo a sua vida em dois: o antes e o depois da carta. Cecilia vai ficar agora perante uma escolha impossível.
Se o segredo do seu marido for revelado, tudo o que construíram será destruído. Mas o silêncio terá um efeito igualmente devastador. Porque há segredos com os quais não se pode viver…"

Em primeiro lugar devo dizer que o início do livro pode ser um pouco confuso, pois passa para as três histórias de que fala de uma forma que eu considerei um pouquinho rápida. O livro conta a história de Cecília (que é a que encontra a carta), Tess (que tem um casamento que era perfeito até descobrir que o marido e a prima se apaixonaram) e Rachel (que sofre com a morte da filha que ocorreu à vinte e tal anos). Só após o terceiro capítulo é que começamos a ligar os pontos que unem as histórias destas mulheres. Após esse capítulo a história torna-se fluída e conseguimos sentir as emoções dos personagens como se fossem nossas. Este livro faz-nos pensar que por mais anos que vivamos com uma pessoa, nunca a conhecemos a 100%. O que é aplicável para a Cecília e a Tess. No caso da Cecília, o marido revelou ser algo que ela nunca pensou possível. Quanto à Tess, a prima revelou ser uma sonsa atiradiça e o marido um banana deslumbrado! Desculpem-me as palavras, mas é o que penso!

O segredo de John-Paul é previsível, mas não é isso que tira o brilho ao livro. Aliás, a história apesar de estar assente nesse segredo consegue evoluir sem ficar enfadonha. As personagens evoluem muito. Apesar de ter descoberto o segredo, a Cecília consegue gerir a sua vida familiar como se nada se tivesse passado. Acho que eu não conseguiria ter o sangue frio que ela teve!
Eu pessoalmente gostei muito da Cecília e da Tess, mas não consegui criar muito empatia pela Rachel. O final da Tess foi para mim o melhor, pois ela conseguiu assumir as rédeas da sua vida guardando uma surpresa para o marido. O final da Rachel era expectável. No caso da Cecília, o final sinceramente deixou-me triste pois quem deveria pagar pelo crime não foi quem efectivamente pagou por ele (mesmo que indirectamente).

Já conheciam este livro?

6 comentários: