quinta-feira, 1 de maio de 2014

Tudo sobre a minha RA # 1: Como tudo começou

Olá =)

Hoje teremos 2 posts e amanhã talvez o mesmo venha a acontecer, mas ainda não tenho a certeza. Como este fim-de-semana vou estar "enterrada" em trabalho, quero ver se escrevo uns posts para esses dias. também. Assim, vocês têm algo para se entreterem ;)

Ora bem, mas o que me trouxe aqui hoje foi a minha dieta. Ou melhor, a minha reeducação alimentar (RA). Estão prontas? Começo por avisar que vou dividir este assunto por vários dias, caso contrário serão posts gigantes.

Tudo começou em Janeiro de 2009, quando atravessava uma das fases mais conturbadas da minha vida e, em consequência dos nervos andava a comer em demasia tendo atingindo os 73 quilos e 600 gramas. Eu que sempre sofri de baixa auto-estima, resolvi que era a hora de dizer basta e mudar!
Então sentei-me à frente do computador e comecei a pesquisar. Enquanto pesquisava, continuava a comer.
Na altura estava na moda a dieta da sopa. E eu, achei por bem fazê-la. Quão ingénua fui!

Lá fui às compras, e comprei todos os ingredientes. Fiz a sopa e comecei a comê-la. Resultado? Um dia e meio a vomitar.
Ainda hoje me lembro no que pensei, estava eu meia morta-viva :" Se é para fazer dieta, que seja uma com pés e cabeça. Se a minha solução é isto, prefiro morrer gorda!"

Após esta "aventura", ganhei uma aversão a pimentos, e a dietas loucas!

Voltei ao computador e descobri um monte de blogues sobre reeducação alimentar, e num deles encontrei o que me ajudou a perder peso e a re-aprender a comer. Ok, eu paro com o mistério! A minha solução foi a dieta dos pontos!

Esta dieta dos pontos em particular, isto porque existem muitas variantes, veio num revista Elle de 1994. Tive acesso a ela graças a uma menina com quem perdi o contacto à muito tempo, e por isso por mais que procure não a consigo encontrar na net.

E por hoje é só, que este post já foi denso o suficiente. Amanhã, continuo a falar neste assunto.

Já fizeram dietas loucas? Ou têm mais juízo do que eu tive? 

Sem comentários:

Enviar um comentário